O seu guia para enfrentar doenças graves

1 - Uma ou duas pessoas- provavelmente familiares - farão um enorme esforço para ajudá-lo. Se você é casado, é mais provável que seu cônjuge faça isso, mas não fique suspreso se outros - seus filhos, cunhado, ou até mesmo amigos - tomarem a iniciativa de oferecer ajuda. Seja grato por isso, aceite ajuda, de qualquer fonte, graciosamente.

2 - Alguns membros da família, mas especialmente amigos, irão tratá-lo diferente. Mesmo antes de mostrar sinais de uma doença grave, as pessoas olharão em seus olhos de uma forma diferente, quando falam com você. Pode ser que você considere isso uma atitude arbitrária e autoritária. Pode ser difícil, mas é melhor ignorar estas atitudes e tratá-los como você sempre tratou. Eles voltarão ao normal quando passar o choque.

3 - Aceite com felicidade todos os presentes de familiares e amigos. Isso os fará sentir melhor e você por outro lado receberá coisas que realmente gosta e aprecia.

4 - Não fique com medo de pedir para ficar sozinho. Nós precisamos de tempo para nós mesmos. Algumas pessoas podem sentir-se impulsionados a preencher todo o seu tempo com atividades. Talvez eles estejam tentando distrair a sua mente, e também estar fazendo a mesma coisa para si próprios.

5 - Seja seu próprio conselheiro. Ninguém, nem seu médico, nem religiosos, nem cônjuge, nem amigos podem entender 100% o que você quer e precisa. Lembre-se da opinião de Immanuel Kant de evitar aceitar a autoridade de outra pessoa no lugar de nossos próprios poderes de razão. Você é aquele que considera alternativas e faz escolhas. Você pode sim, pedir conselhos, fazer telefonemas e ler livros, mas no final é você quem decide.

6 - Acalme-se e peça para sua família e amigos se acalmarem. Pode não haver muito tempo, mas na maioria dos casos há tempo suficiente para pensar, planejar e preparar.

Contato

Av. Jacu Pêssego, 2705 - Itaquera - São Paulo - SP
CEP: 08260-005

(11) 2842-5544