Exercícios para melhorar a memória

O envelhecimento natural altera o funcionamento do cérebro. Ao longo do tempo, até mesmo as pessoas saudáveis experimentam o declínio de alguma habilidade cognitiva. Pequenas quedas de rendimento na memória, tanto visual quanto verbal, podem acontecer juntamente com alguma perda de memória a curto prazo. O cérebro, como qualquer músculo precisa de exercícios para se manter "em forma". Quanto mais exercícios o cérebro faz, melhor é o processamento de informações.

Passatempos
Palavras cruzadas é um dos mais eficientes exercícios de memória. A Fundação Americana de Assistência à Saúde (AHAF) recomenda a prática do Sudoku para exercitar o cérebro e ajudar a melhorar a memória e as funções cognitivas. O Sudoku é similar às palavras cruzadas, mas ao invés de letras, números são utilizados. O objetivo do jogo é completar um grid (colunas verticais e linhas horizontais), preenchendo os espaços vazios com números de 1 a 9. O segredo: o número não pode ser repetido na mesma coluna, linha ou bloco. Ele não exige habilidades ou cálculos matemáticos. É um jogo de lógica que pode ser encontrado em jornais, livretos de passatempos e na internet.

Estímulo sensorial
Um modo de estimular as funções cerebrais é pela estimulação de dados sensoriais. Envolver todos os cinco sentidos numa experiência vai estimular e acordar o cérebro. Ouça uma boa música, coma algo delicioso, olhe para algo impressionante, toque algo macio e acenda uma vela perfumada para ter um aroma agradável para cheirar. Usar e prestar atenção a esses estímulos sensoriais vai incitar e aumentar a memória sensorial e a consciência.

Jogos de carta
Jogos de carta como Poker, Paciência, Buraco e Truco exercitam o cérebro e podem adiar a perda da memória associada ao envelhecimento, mantendo a sua vitalidade, de acordo com a Academia Americana de Neurologia.

Xadrez
Um jogo de estratégia que pode impulsionar a memória e as habilidades cognitivas. Todo jogo que envolve estratégia vai exercitar o cérebro. O cérebro precisa de treinamento diário para ficar saudável, de acordo com a Universidade de Michigan.

Leitura
Ao ler, o cérebro é exercitado e as palavras ficam mais fáceis de serem recordadas. Foi provado que ler jornais, livros ou revistas fornecem ao cérebro um grande estímulo. Estudando a memória e o envelhecimento, o Dr. Yonas Geda, uma neuropsiquiatra na Clínica Mayo, descobriu que engajar-se em atividades cognitivas, tais como a leitura pode prevenir a perda de memória futura. O estudo também descobriu que idosos que brincam, navegam no computador e participam de atividades artesanais tiveram uma taxa de queda na perda de memória de 30% a 50% comparado àqueles que não se envolviam nesses tipos de atividades.

Contato

Av. Jacu Pêssego, 2705 - Itaquera - São Paulo - SP
CEP: 08260-005

(11) 2842-5544