Exercícios diminui o risco de 13 tipos de câncer

Um estudo profundo e recente confirmou que o exercício físico reduz o risco de diversos tipos de cancer e também mostra o quão grande é esta redução.

A grande maioria das pessoas que se exercitaram tiveram um percentual de redução de 42% no risco de câncer esofágico e 27% no risco de câncer de fígado . O estudo, feito com base de comparação de 1.4 milhões de casos, registrou uma expectativa de vida 11 anos maior para aqueles praticam atividade física regularmente, em comparação àqueles que relizam pouco ou nenhum exercício.

Aqueles que praticaram atividade física tiveram uma média de risco de:

-26% para câncer pulmonar
-23% para câncer renal
-22% para câncer estomacal
-21% para câncer endometrial
-20% para leucemia
-16% para câncer de cólon
-13% para câncer retal
-13% para câncer de bexiga
-10% para câncer de mama

A equipe do NCA (National Cancer Institute) analisou dezenas de estudos envolvendo câncer nos EUA e na Europa, e reuniu todas as suas descobertas numa única análise. Eles compararam as pessoas que se exercitavam 90% a mais do que a maioria contra aqueles pouco se exercitavam.

"Os maiores exercícios eram equivalentes a apenas uma hora de caminhada", relata Steven Moore que conduziu o estudo da NCA. Eles incluiram estudos que observavam exercícios pesados, como corrida, e estudos de exercícios moderados, como natação e caminhada.

Na média, as atividades físicas duravam duas horas e meias de exercícios moderados toda semana."Um nível maior de atividade físico no lazer estava associado com uma reduzão no risco de câncer em geral de 7%", conforme publicado pelo Jornal da Associação Americana de Medicina.

"Praticar atividades físicas trazem muitos benefícios", disse Moore. "Isso pode ajudar pessoas a reduzir o risco de doenças cardíacas, diabetes e extender a expectativa de vida. E agora também mostra que pode reduzir o risco de alguns tipos de câncer"

"Ademais, nossos resultados confirmam que estas associações são amplamente generalizados para populações de diferentes características, inclui pessoas obesas e com histórico fumante." A obesidade é conhecida por ser um fator de risco ao câncer, mas o estudo descobriu que o exercício protege até mesmo pessoas obesas do câncer. Em média, os participantes do estudo eram levemente obesas. "Esta descoberta pode ajudar a encorajar aqueles com sobrepeso e obesidade a praticar atividade física".
Embora seja sempre possível que pessoas dispostas a se exercitarem mais sejam mais saudáveis e possuam menos chances de desenvolver câncer por outros fatores, especialistas em câncer confirmam que as evidências que o exercício afeta diretamente o crescimento de tumores são muito convincentes.

Existem três fatores que contribuem para a diminuição do câncer, enquanto há atividade física: (1) redução dos níveis hormonais do corpo, como o estrógeno, que por sua vez reduzem o risco de cãncer de mama e endometriose. (2) Melhores níveis de insulina e dificuldade de proliferação de inflamações. (3) Entre fumantes regulares o exercício diminui o risco de câncer de pulmão.

"Doutores deveriam prescrever mais exercícios aos seus pacientes", disse Moore. Apenas metade dos americanos fazem a quantidade mínima de exercícios recomendada.

Contato

Av. Jacu Pêssego, 2705 - Itaquera - São Paulo - SP
CEP: 08260-005

(11) 2842-5544